Forte de São Francisco Xavier da Piratininga

Em 23 de maio de 1535, a caravela Glória, de Vasco Fernandes Coutinho, aportava próximo ao Monte Moreno, na Praia de Piratininga, à esquerda da entrada da baía. Ao local foi dado o nome de Vila do Espírito Santo, pois o desembarque ocorreu no dia dedicado pela Igreja à Terceira Pessoa da Santíssima Trindade.

Não demorou para que fosse erguido, no local onde hoje se encontra o Forte de São Francisco Xavier, um fortim que se denominou apenas Forte da Barra. Suas paliçadas e cercas externas detinham as arremetidas dos silvícolas; sua localização, bem como seus canhões primitivos, barravam a penetração dos corsários. Em 1700, foi iniciada a edificação da Fortaleza de São Francisco Xavier, mais próxima da barra. Mandou-a fazer D. Rodrigo da Costa, sob a direção do Capitão-Mor Francisco Ribeiro de Miranda que, em 1703, deixou adiantada a sua construção.

Em 1705, a fortaleza ainda não concluída sofreu investidas de ingleses e holandeses. Em 1726, foi reedificado o Forte de São Francisco Xavier, com a forma circular, aparelhado com 15 peças em canhoneira. Em 28 de janeiro de 1859, D. Pedro II visitou o Forte, onde o então Comandante, Capitão de Engenharia Pedro Cláudio Soide, levou-o a examinar a artilharia, a escrituração e os soldados.

Em 1862, o Forte foi cedido ao Ministério da Marinha, passando a servir como armazém da Marinha. Era uma fortaleza de 3ª classe, denominada Piratininga, na época avaliada em 6.000$000 (seis contos de réis). Instalou-se ali, naquele mesmo ano, a primeira Escola de Aprendizes Marinheiros, que foi extinta em 1866. Naquela época, achavam-se em ruínas as instalações do Forte. Retornando ao Exército, hoje abriga o 38º Batalhão de Infantaria.

Endereço: Praia de Piratininga, s/nº – Prainha – Vila Velha – ES – CEP 29100-901
Tel: (27) 3229-5117

92.jpg
Forte-S-úo-Francisco-Xavier-da-Barra-109